Nossa Missão


O presente blog tem por principal objetivo a publicação de artigos sobre a criação e manejo das abelhas nativas de diferentes espécies. Sabemos que as abelhas originárias do continente Americano ainda não são valorizadas como deveriam ser. Ocorre que a grande maioria das pessoas não as conhecem e consequentemente não sabem o quanto são valiosas para a manutenção da fauna e que podem ser usadas para melhorar muitos aspectos sociais, culturais e principalmente econômicos. Por isso acredito que a divulgação desta maravilha natural é de suma importância para a coletividade.

João Victor Cunha Peluchi

quinta-feira, 10 de março de 2011

Potes de Cera Artificiais



Essa é muito boa......


Aprenda a fazer potes utilizados pelas abelhas sem ferrão.

Graças o amigo do blog Abelhas do sabugi aprendi uma técnica muito interessante e super criativa para auxiliar as abelhas quanto a construção de potes de mel e também fornecimento de cera para outros fins dentro da colméia.

As abelhas sem ferão "melíponas" não constroem favos como as abelhas Europa ou Itália "apis melíferas", e sim potes de cera onde armazenam mel e pólen, a cera é produzida pelas abelhas na transformação do mel por elas ingerido com o auxílio de oito glândulas ceríngeas localizadas no lado ventral do abdômen das operarias.

Quando fazemos divisões, as abelhas da caixa filha começam a construir um novo lar, isso inclui potes de armazenamento para o mel e também o pólen, mas graças ao amigo (Isaac Soares de Medeiros) essa tarefa pode ser feita pelo meliponicultor, depois de muitas tentativas nosso amigo chegou a um excelente resultado tornando essa tarefa simples e muito constritiva e eu que sou esperto já aprendi e vou mostrar como fiz meus potes de cera artificiais seguindo as instruções do Issac.

Ingredientes


Cera de Apis ou de Melíponas
Própolis da melípona que vai receber a cera artificial.
Óleo vegetal (óleo de soja).


Essa é a receita horiginal do Isaac porém eu não tinha cera de apis "abelhas Europa", por isso utilizei cera de jataí mesmo que tenho estocado aqui em casa, logo abaixo são as instruções dadas pelo Isaac em seu blog.

Preparando a Cera


Para cada 1 kg de cera de Apis, coloque 100 ml de óleo vegetal e 100 a 150 gramas de própolis da melípona que vai receber.

Coloque tudo em banho Maria a cera, oleo e a propolis, quando tudo estiver em estado liguido, baixe o fogo para não aquecer demais a mistura.


Ao iniciar a confecção dos potes, comece a mexer a cera e só pare quando terminar, evitará que o óleo ou a própolis fique mais concentrado em um lugar do que em outro.


Pois bem, como podem ver na foto abaixo foi isso mesmo que fiz, o único detalhe é que utilizei um palito de madeira com o tamanho mais ou menos parecido com o da largura dos  potes feitos pelas abelhas jataí,
se observarem bem esse palito esta dentro da lata onde derreti a cera.

(banho maria)

 Uma dica é deixar o palito em um copo com água gelada antes de iniciar a confecção dos potes, e  vale lembrar que não é bom aquecer muito a cera, isso evitará que a cera estrague e também ajudará na confecção dos potes, para começar é muito simples, basta mergulhar o palito molhado dentro da cera derretida e em seguida mergulhe na água fria, a cera se desprenderá naturalmente do palito.

(Palito molhado mergulhado na cera)


 A bagunça é inevitável, mas depois é só limpar para não tomar broncas como eu tomei rsrs.

(Mergulha o palito envolvido pela cera)


Parece mágica, lindos potes fabricados em sua cozinha, essa idéia genial que nosso amigo do Abelhas do Sabugi teve superou tudo que se trata em matéria sobre manejo e criação de abelhas melíponas.

(Potes de Cera Prontos)



É importante deixar os potes afastados por enquanto, pois logo após confeccionados eles ficam um pouco grudentos pelo fato de estarem quentinhos ainda, meus potes ficaram um pouquinho compridos mas não tem importância, as abelhas retiram o excesso e utilizam a cera para outros fins.

Se hover duvidas pode deixar seu comentario e e-mail que tentamos ajudar o maximo possivel, obrigado pelas visitas e voltem sempre. 

João Victor Cunha Peluchi
jvpeluchi@jnnet.com.br

Um comentário: